Sustentabilidade

O projeto do Mineirão adota práticas sustentáveis e socialmente responsáveis, de acordo com os mais avançados critérios. Uma das metas é conquistar uma certificação Leadership in Energy and Enviromental Design (LEED – Liderança em Energia e Design Ambiental), uma espécie de “selo verde” que abrange a obra e a posterior operação do estádio.

Meio ambiente

  • Terra retirada para rebaixamento do campo foi usada na obra de aterro do Boulevard Arrudas, no centro de Belo Horizonte, e para a cobertura de cavas de mineradoras.
  • Reaproveitamento de todos os entulhos provenientes da obra. O concreto da demolição, por exemplo, foi reutilizado na pavimentação de ruas e na construção; o metal retirado da obra foi usado em usinas recicladoras para emprego na indústria.
  • Controle de emissão de poeira. Caminhões-pipa umidificaram a terra para que a poeira levantada fosse mínima. Nos portões de saída de veículos pesados, foi instalado o “lava rodas”, retirando o barro e a sujeira das rodas de máquinas e caminhões, para que as ruas do entorno permanecessem limpas.
  • Preferência por produtos sustentáveis. Por exemplo, qualquer tinta que não fosse à base de água é preterida.
  • Doação da madeira das árvores retiradas do entorno do estádio a artesãos. Com isso, os artistas ganharam matéria-prima de origem certificada, o que facilita a comercialização internacional dos produtos.
  • Reaproveitamento da água de chuva em um reservatório de aproximadamente 6 mil metros cúbicos, quantidade suficiente, em caso de estiagem de três meses, para descargas dos sanitários, irrigação do gramado e jardins e limpeza das áreas externas.
  • visual

    Geração de energia elétrica através da captação de energia solar, por meio de 6.000 painéis fotovoltáicos (imagem) instalados na cobertura; a geração é suficiente para atender 1.200 residências.

  • Sistemas de válvulas de descargas com duplo acionamento e torneiras com fechamento automático.
  • Iluminação de alta eficiência com baixo consumo e sistema elétrico inteligente.
  • Sistema de coleta seletiva de lixo e armazenamento de resíduos sólidos.
  • Uso de madeira com selo de manejo florestal.

Trabalho

  • visual

    Os operários frequentaram aulas diárias do Curso de Alfabetização (imagem) oferecido pela Minas Arena. Eles receberam material escolar completo, o que incluiu cartilhas, livros, cadernos, lápis, borracha e carteirinha de estudante válida em todo o território nacional.

  • Todo operário que trabalhou na obra recebeu treinamento específico para a atividade a ser desempenhada. Cada função tem sua capacitação correspondente.
  • O cardápio balanceado por um nutricionista levou em conta o alto gasto calórico característico de atividades da construção civil.
  • Por meio de parceria firmada entre a Minas Arena e a Secretaria de Estado de Defesa Social, a obra ofereceu oportunidade de trabalho a detentos do sistema prisional mineiro. Os presos, que cumprem pena em regime semi-aberto, receberam curso de capacitação para atuarem como eletricistas, carpinteiros, serventes de obra e outras tarefas ligadas à construção civil.
  • Cerca de 100 mulheres foram contratadas para as obras, desempenhando as mais diversas funções. A iniciativa, além de gerar emprego para mães e família e jovens trabalhadoras, contribuiu para promover a igualdade de gênero em um ambiente que sempre foi predominantemente masculino.

Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 – Pampulha, Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil