História

visual

Inaugurado em 5 de setembro de 1965, o Estádio Governador Magalhães Pinto – o Mineirão – nasceu com capacidade de público inferior apenas à do Maracanã, no Rio de Janeiro. Protagonista da ascensão de Atlético e Cruzeiro no cenário esportivo nacional, logo o Mineirão foi “adotado” pelas duas torcidas e se tornou um patrimônio afetivo dos mineiros.

Além de palco do futebol, o Mineirão é também um monumento da capital mineira. Sua fachada é tombada pelo Conselho do Patrimônio Histórico de Belo Horizonte e se integra ao conjunto arquitetônico da Pampulha, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. O estádio está, assim, inserido em um dos principais polos de lazer e cultura da cidade, onde o paisagismo e a arquitetura se unem em um verdadeiro cartão postal.

 

Inauguração e primeiro gol

O jogo de inauguração do estádio, em 5 de setembro de 1965, foi assistido por cerca de 80 mil pessoas. A Seleção Mineira derrotou o River Plate, da Argentina, por 1 a 0, com gol de José Roberto Bougleaux (Buglê), do Atlético.

Recorde de público

132.834 (Público presente) – 22/06/1997 – Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova

Total de gols marcados (até junho/2010)

9.307

Os artilheiros

visual1- José Reinaldo de Lima – Atlético – 152 gols
2- Eduardo Gonçalves de Andrade (Tostão) – Cruzeiro – 143 gols
3- Dario José dos Santos – Atlético – 129 gols
4- Dirceu Lopes Mendes – Cruzeiro – 126 gols
5- Vanderley Eustáquio de Oliveira (Palhinha) – Atlético / Cruzeiro – 113 gols

 

Jogadores que mais atuaram

visual1- Manoel Rezende de Matos Cabral (Nelinho) – Cruzeiro / Atlético – 348 partidas
2- Wanderley Paiva Monteiro – Atlético – 345 partidas
3- Zé Carlos – Cruzeiro – 318 partidas
4- João Leite da Silva Neto – Atlético / América – 317 partidas
5- Raul Plassmann– Cruzeiro – 296 partidas

 

Goleiro artilheiro

Ortiz, que atuou pelo Atlético, entre 1976 e 1977, marcou de pênalti o primeiro gol de um goleiro na história do Mineirão. Foi em 7 de novembro de 1976, na partida contra o CRB, válida pelo Campeonato Brasileiro. Ortiz marcou aos 27′ do 2o tempo o terceiro gol da vitória do Atlético por 4 a 1.

A Seleção Brasileira

Desde a sua inauguração, o Mineirão sediou 22 partidas da Seleção Brasileira, sendo 15 amistosos, seis jogos válidos pela Copa América, eliminatórias da Copa do Mundo e um pela Copa das Confederações . Das 22 partidas, o Brasil ganhou 16 jogos, empatou quatro e perdeu duas vezes. As derrotas foram para o Clube Atlético Mineiro, amistoso realizado em 1969, e para a Seleção do Peru, em 1975, pela Copa América.

Público de causar inveja

Nos três clássicos que disputaram na temporada de 1969, Atlético e Cruzeiro levaram uma multidão de 302.865 pagantes, média de 100.955 por partida. Estes números causavam inveja por todo o Brasil.

Show de talentos

Muitos talentos do futebol mundial foram vistos pela primeira vez no Campeonato Mineiro. Jogadores como Ronaldo, Reinaldo, Éder Aleixo e Tostão fizeram suas estreias como profissionais neste torneio.

Domínio celeste

Entre 1965 e 1975, nos primeiros 11 anos do Mineirão, o Cruzeiro conquistou nove títulos do Campeonato Mineiro com o timaço de Tostão, Dirceu Lopes, Piazza e companhia. Os triunfos foram em 1965, 66, 67, 68, 69, 72, 73, 74 e 75.

Galo hexa

O ano de 1978 representou a retomada alvinegra aos títulos mineiros. Foram seis em sequência, até 1983. Se na última campanha o time já não contava com o ídolo Toninho Cerezo, a torcida podia contar com João Leite, Nelinho, Luizinho, Reinaldo e Eder.

Música e bola

O jogo Atlético 1 x 1 Cruzeiro, em 16 de março de 1997, pelo turno do Campeonato Mineiro, foi o cenário da gravação do clipe “É uma partida de futebol”, do Skank.

Doação de cadeiras

As cadeiras que equipavam o Mineirão garantem hoje mais conforto para torcedores do interior e de outras modalidades esportivas. Foram doadas 52.100 unidades a 14 estádios, ginásios e instituições de Minas Gerais.

Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 – Pampulha, Belo Horizonte – Minas Gerais – Brasil